Acido Esteárico Vegetal / Estearina - 250g

  • Referência:   10571
  • Disponibilidade: 1 a 3 dias úteis
  • Fabricante: Ind. Quim. Anastacio S/A
Creditos acumulados: 0,85
R$ 16,90

ou em até 1x de R$ 16,90 no cartão
ou R$ 15,21 à vista com 10% de desconto
Esse produto encontra-se indisponível.Deixe seu contato que avisaremos quando chegar.
Matéria prima para fabricação de cosméticos e processos industriais , são vendidas em escamas, grânulos ou líquido de cor branca levemente amarelada e odor característico. Aplicado como agente de consistência. É biodegradável. Não inflamável. Não poluente. Não tóxico.

LITERATURA TÉCNICA
Ácido Esteárico Vegetal / Perola AII Especial

- Origem:
O Ácido Esteárico Vegetal é extraído de óleos vegetais, estando presente na forma esterificada com os outros ácidos graxos e a glicerina.
O Ácido Esteárico Vegetal é obtido hidrolisando o óleo de palma, separando a glicerina e posterior hidrogenação dos ácidos graxos de palma a ácido esteárico de palma.

- Descrição:
O Ácido Esteárico Vegetal (ou ácido octadecanóico - CH3(CH2)16COOH) é um ácido graxo de cadeia longa que consiste de 18 átomos de carbono sem duplas ligações. O ácido esteárico Vegetal 60% é classificado como ácido graxo saturado.
O Ácido Esteárico Vegetal pertence a uma classe de compostos chamados ácidos carboxílicos, que são caracterizados por possuírem o grupo funcionais carboxila COOH. O Ácido Esteárico Vegetal por possuir uma cadeia carbônica longa (C18) são chamados ácidos graxos ou gordos. Como não existe uma dupla ligação na cadeia carbônica eles são chamados de Ácidos graxos saturados.

- Aplicação:
Por ser um ácido graxo o Ácido Esteárico Vegetal pode ser saponificado e é muito utilizado na indústria cosmética na produção de cremes de barbear, sabonetes, cremes evanescentes e loções cremosas. Quando se reage com o monoetileno glicol, obtém-se o mono ou diestearato de etilenoglicol, que é um excelente doador de opacidade e brilho pérola, muito usado em shampoos, banhos de espumas e sabonetes líquidos. Quando etoxilado com o óxido de etileno, obtém-se um tensoativo chamado Ácido Esteárico Polietoxilado (PEG-3 Distearato) que é muito usado nas formulações de shampoos para dar opacidade e perolado.
Devido as suas propriedades em solidificar a temperaturas acima de 50º C ele é utilizado como agente doador de consistência e viscosidade em formulações cosméticas de cremes e cremes desodorantes.
Usado em sabonetes, lubrificantes, velas, spray de cabelo, condicionadores, desodorantes, cremes. Possuem diversos derivados com os estearatos.

- Outras Informações:
Estudos sugerem que, em termos de dieta e de questões relacionadas a doenças do coração envolvendo ácidos graxos saturados, o ácido esteárico pode não se comportar como os outros ácidos graxos saturados que ocorrem em quantidades significantes na dieta.
Os ácidos graxos saturados de cadeia longa predominantes na dieta são os ácidos láurico (C12:0), mirístico (C14:0), palmítico (C16:0) e esteárico (C18:0). O ácido esteárico é um componente comum em muitos alimentos, com as carnes vermelhas e os produtos lácteos contendo gordura sendo as principais fontes da dieta. Ele tem muitas das características desejáveis de sabor e textura dos ácidos graxos saturados de cadeia longa.

 
Tecnologia
iSET - Plataforma de E-commerce para criar loja virtual
Plataforma de E-commerce para criar loja virtual